quinta-feira, 17 de junho de 2021

Do diário de um vizinho astuto

 

Gosto de escrever em diário 

Não é coisa de matuto

Muito menos fazer um conto

Para um escritor que é arguto

Transcrevo agora a vocês 

A quem não for meu freguês 

O diário do um vizinho astuto.



DO DIÁRIO DE UM VIZINHO ASTUTO


Ao meu mestre A. P. Tchekhov


12 de março de 1980Nasceu Josilda Augusta. Criança robusta, gravidez de nove meses completos, recebeu alta hospitalar no dia seguinte após o parto normal. 

A criança era esperada como protagonista principal da família: primeira neta; filha única de um missionário da igreja cristã americana, Peter, e de uma dona de casa, Fontanela; primeira criança de um prédio recém construído.

Muito se espera do futuro de uma criança com pais tão comprometidos.


3 de junho de 1985. Criança sapeca! Cinco aninhos de pura ternura… Alegria dos vizinhos.

Fontanela só risos depois que me me contou o ocorrido em um passeio de carro pela cidade com a filha e o marido. Fontanela falava, com certa jactância, a Macias sobre a diferença de classes sociais entre os moradores do prédio quando foi surpreendida pela frase de Josilda “mamãe, o que importa é a felicidade”. 

O futuro é sempre uma caixinha de surpresas.


7 de setembro de 1990. Fui ao desfile do 7 de setembro acompanhado dos meus vizinhos. Naturalmente que o entusiasmo de Josilda era enorme naquela novidade. 

O desfile estava magnífico com armas, soldados enfileirados. Josilda sorria para todos e dizia ao pai “quando crescer quero ser soldada, papai” ao qual o pai a reprimia pela sua postura de diácono da igreja Batista.


8 de agosto de 1992. Percebia-se uma certa balbúrdia na casa de meus vizinhos. A única coisa que deu para entender foi que Josilda estava de namoricos com um coleguinha da escola. Diga-se de passagem que a escola era das mais tradicionais e ricas do estado. 

Eu não via nada de mais em duas crianças cristãs e bem criadas sentirem um idílio que certamente os faria bem e seria passageiro.

Os exageros nas correções dos filhos precisam de moderação.


9 de novembro de 1996. Pobre de Josilda, mais uma vez punida de forma severa por estar de namoro. Agora já se falava em netos, que coisa! Será que já fazia sexo? Tão nova!

A menina ainda com todo o futuro pela frente e tão aplicada nos estudos. Com certeza será grande advogada…


1 de dezembro de 2003. Josilda não era mais adolescente e já, em pleno vigor da idade e da faculdade, parecia não aguentar mais os arroubos e querelas dos pais. 

As brigas eram agora em tons de ameaça é muito mais frequentes. “Minha vida sexual não interessa a vocês!”, gritava Josilda repetidas vezes.


2 de fevereiro de 2004. O inesperado é fruto do acaso e a teimosia, um exercício da autonomia. Josilda saiu de casa. 

Eu soube depois que Josilda não terminou a faculdade. Foi dedicar-se ao seu novo futuro. Tornou-se residente em um prostíbulo de luxo faturando altos valores em seu novo emprego…

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Eu penso onde não sou e sou onde não penso

 


Descartes foi bom filósofo 

E em filosofar foi intenso 

Foi quem primeiro disse “eu...

Tanto existo como invento”

Na sua herança não deixou

“Eu penso onde não sou

Eu sou onde não penso”.


A vida em comunidade

Deixa qualquer um tenso

Com a fala sem ser falada

Com o pensar estando suspenso 

Dostoiévski imaginou:

“Eu penso onde não sou

Eu sou onde não penso”.


Machado nunca escreveu

Stendhal ficou propenso

Shekespeare só imaginou

Tólstoi fez romance imenso

Nietsch  se aprofundou

“Eu penso onde não sou

Eu sou onde não penso”.


Freud teceu seu método 

Depois deixou em suspenso

Cartas, diários, seminários 

Poesias, sonhos e pensamento 

No final Lacan falou:

“Eu penso onde não sou

Eu sou onde não penso”.

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Homenagem a Tatiana

 



A vida nos faz surpresas 

Muito mais que imaginamos

Onde estiver seu problema 

Reze a Deus e agradeçamos 

Deixe a vida lhe mostrar

Em parcimônia vivamos.


Mas não se esqueça de orar

A sua fé em Deus consagrar 

E nas faltas seja humano.


Veja no outro seu perdão 

Agradeça a oportunidade 

Leve a vida em caridade 

Esteja com a fé na mão 

Melhore mais a reflexão 

Amenize na maldade

Iguale em fraternidade 

Seja a força da oração.


Queira a igualdade primeiro 

Use o coração ligeiro 

Estenda a paz ao seu intrigado.


Onde quer que você esteja

Use a palavra de paz

Recorde o bem que faz

Ou traga o amor de bandeja.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Inspiração, cadê tu?

 

A inspiração foi, sumiu.

Para onde terá partido?

A alegria sucumbiu.

O poeta doido varrido

Se vê no indefinido

A imaginação escapuliu.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

Quem manda?


 Aqui, no Brasil de todos

Não se sabe quem é que manda

Se o bispo manda no padre

Se o partido que esculhamba 

Para aquele que convém 

Saiba que direito tem

Aquele que direito anda.


Em um Brasil que é cheio de leis

Todo mundo faz o que quer

O que tiverem vontade 

Na hora que se lhe convier

Quem rouba galinha é preso

Mal político sai ileso

E salve-se quem puder.


O presidente manda algo

A câmara muda o destino

O professor ministra a aula

O aluno em desatino

O presbítero prega a ordem 

O fiel reza na desordem

Quem manda é tido cretino.


No casamento ainda é pior 

Nunca se sabe quem é quem

O marido acha que manda

A mulher casada também 

Todo filho faz o que quer

A mãe guarda sua colher

O real é que manda ninguém.


O certo é viver pela ordem

Ter quem mande e quem obedeça 

Seguir alguém que seja o chefe 

Seja de todos a cabeça 

No Brasil não acontece isso

Vivem todos em reboliço 

Fazem o que querem e aconteça.


Na universidade há tempos

O poderoso é o reitor

E dentro da faculdade

Quem manda é seu diretor 

O aluno nunca obedece

Nada que existe apetece 

Desmanda no professor.


Afinal quem vai mandar

E quem deve obedecer?

Aquele que tiver juízo 

Saberá o que vai fazer

O certo mesmo é ter paz

Mandar quem for capaz

Quem não for vai obedecer.

domingo, 17 de janeiro de 2021

Coronavírus em 2021

 



Fabiano Timbó


Pulamos para o ano novo

O Brasil começa o jogo

Aqui continua a chacina

Chegando a nova vacina

O Amazonas ardendo em fogo

Nem Cicero de Juazeiro

Com orações de romeiro 

Conseguirá apaziguar

Para a doidísse passar

Que este ano passe ligeiro.


Gerson Odilon Pereira


Melhor é rezar um terço

Se puder, um rosário 

Como hábito diário

Para evitar tropeço 

Orar é um bom começo

Trás Jesus e trás Maria

Razões de nossa alegria

E vitória conta o mal

Orando eu vejo o sinal

Do fim desta pandemia


É bom quando acordar

Fazer o sinal da cruz 

Pedir com fé a Jesus

Que venha nos visitar

E de joelhos rezar

Suplicando em oração 

Misericórdia, o perdão,

A Graça do Pai eterno

Que nos livre deste inferno

E nos traga a Salvação


Fabiano Timbo


É bom quando acordar

Pedir pra Deus proteção 

Alegria, iluminação 

Para o dia começar 

E podermos festejar 

Sendo com todos fraterno

Louvando o Pai eterno

Torcendo para esta doença 

Ser findada na ciência 

Para que o ano seja terno.

domingo, 10 de janeiro de 2021

Quem manda no Brasil?


 

Aqui neste Brasil de todos

Não se sabe em quem se manda

Se o bispo manda no padre

Se o partido que esculhamba 

Para aquele que convém 

Saiba que direito tem

Aquele que direito anda.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Feliz aniversário, Timbó


 

De Gerson Odilon em 7/12/2020

O nosso grupo se anima 

Alegres a parabenizar 

Este amigo tão querido

Que acaba de aniversariar 

São tantas as felicitações 

Rebuscadas de emoções 

Que fazem o Timbó vibrar


- Parabéns amigo Timbó!

Diz nosso grupo em refrão 

Cantando. Batendo palmas.

Todos cheios de emoção

Esse Timbó é o cara

Um professor joia rara

Em qualquer ocasião


Timbó tu és um amigo

E toda amigo é assim

Admirável e polido

Sadio e sem farnizin

Pelas qualidades que tens

Estes votos de parabéns 

São flores pro teu jardim.


Caríssimo aniversariante 

Seja feliz e sorria, 

Com as bênçãos do bom Deus

E a proteção de Maria

A sua vida seja de Luz

Que as GRAÇAS de Jesus

Façam brilhar o seu dia


Aproveito e ainda mando

Um abraço muito apertado

Pra toda sua família 

Que está sempre ao seu lado

Te amando e querendo bem

Pois igual a você não tem

Um coração tão amado.


Te desejamos a paz

Muito amor e luz divina

Felicidades pra sempre

É Deus quem te ilumina

Pra você tudo de bom

Deseja Gerson Odilon

E os profs de Medicina.

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

O mal servidor


 

Serviço que se diz público 

Tem lá um tal de servidor 

Pergunta pra refletir:

“- Que faz este trabalhador?”

Parece que faz lição

Para aprender humilhação 

A qualquer um que pra ele for.


Servidor não quer ajudar

Está sempre de mal humor 

Sem pressa pra resolver

Seja o problema qual for

Se importa com seu descanso 

Com espírito de remanso

E ainda se diz bem feitor.