RIMA E MÉTRICA


RIMA

O PRÊMIO DA INOCÊNCIA de Expedito Sebastião Silva

"Naquela noite as estrelas
com uma luz purpurina
parecia iluminar
a mais escura campina
transformando aquilo ali
numa miragem divina."


Eu pus no google o que era rima para me inspirar e saber como melhor explicar, mas achei uma boa resposta e ai resolvi publicá-la aqui. 

Rima: Nome que se dá à repetição de sons semelhantes, ora no final de versos diferentes, ora no interior do mesmo verso, criando um parentesco fônico entre palavras presentes em dois ou mais versos.

Tipos de rima:

a) Interna ou externa; 
b) Consoantes – rimam consoantes e vogais;
c) Toante – rima apenas a vogal tônica. 

Cruzadas – ABABAB; 
Emparelhadas – AA BB CC ;
Interpoladas – A ............... A; 
Misturadas. 

Pobres (mesma categoria gramatical);
Ricas (categoria gramatical diferente); 
Pobres (identidade da vogal tônica em diante); 
Ricas (identidade desde antes da vogal tônica).


MÉTRICA 

Um poema é constituído por estrofe(s) com versos elaborados em sílabas poéticas. Métrica é a contagem silábica de um verso. Esta contagem permite reunir duas sílabas em uma só como na crase(sinalefa) e contrair duas sílabas numa só sem alteração de letras (sinérese).

A separação silábica poética permite: não contar sílabas após a última tônica; duas vogais podem fundir-se formando uma sílaba poética; o ditongo pode ser separado ou utilizado junto; e o h mudo não conta como sílaba, mas como vogal. Exemplo: Era hora de adormecer = E/ raho/ ra/ dea/ dor/ me/ cer.

É muito comum usar no cordel estrofes com versos de sete sílabas poéticas. Veja abaixo:

O PRÊMIO DA INOCÊNCIA de Expedito Sebastião Silva


"Naquela noite as estrelas
com uma luz purpurina
parecia iluminar
a mais escura campina
transformando aquilo ali
numa miragem divina."

Na/ que/ la/ noi/ teas/ es/ trelas = 7
Comentário: é possível ler apenas 6 sílabas poéticas neste verso porque a rigor a sílaba "es" de estrela pode ser unida a sílaba poética anterior.

com u/ ma/ luz/ pur/ pu/ rina = 7
Comentário: vejo aqui 6 sílabas poéticas, devido ao u sozinho que não conta como sílaba poética.

pa/ re/ ci/ ai/ lu/ mi/ nar = 7
Comentário: aqui também pode ser contada como 6 sílabas, pois, apesar do ditongo poder ser separado na contagem poética o mais correto é não separar as vogais. Seria: pa/ re/ ciai/ lu/ mi/ nar.

a/ mais/ es/ cu/ ra/ cam/ pina = 7
Comentário: só deve se contar até a última sílaba tônica.

trans/ for/ man/ doa/ qui/ loa/ li = 7
Comentário: vogal não forma sílaba poética sozinha.

nu/ ma/ mi/ ra/ gem/ di/ vina = 7
Comentário: só deve se contar até a última sílaba tônica.

16 comentários:

  1. Respostas
    1. Gostaria de saber mais sobre a métrica
      Se eu escrevo um verso assim: VOU CONTAR UMA HISTÓRIA, tem 7 sílabas.
      Para o cordel é certo né? Mas me diz uma coisa: se eu faço mais de 7 silabas em um verso meu cordel tá errado?
      Gostaria também de saber se os artigos também são contados como silabas num verso. Um abraço

      Excluir
    2. Gostaria de saber mais sobre a métrica
      Se eu escrevo um verso assim: VOU CONTAR UMA HISTÓRIA, tem 7 sílabas.
      Para o cordel é certo né? Mas me diz uma coisa: se eu faço mais de 7 silabas em um verso meu cordel tá errado?
      Gostaria também de saber se os artigos também são contados como silabas num verso. Um abraço

      Excluir
    3. Vou/con/ta/ru/mhis/to ria ->6

      Mas o "ria", do final no conta pois o som mais forte acaba em "to" de história. Então são 6.
      Igual o exemplo: a/mais/es/cu/ra/cam/pi na, termina a contagem no "pi" pois depois o som desce.

      Excluir
  2. Olá. Caro Professor. Tentei mandar um e-mail pelo seu perfil mas não consegui. Há possibilidade do Senhor dar uma lida numa postagem que coloquei num blog e que considerava literatura de cordel até encontrar o seu blog?
    O endereço é
    http://www.letrasseculares.blogspot.com
    Atenciosamente
    Jonas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. naoooooooooooooooooooooooooooooooo

      Excluir
  3. Jonas, não me pareceu nada errado, porém a desmetrica é um problema comum a todos nós quando começamos. Lembre-se, a poesia já está dentro de você.

    ResponderExcluir
  4. Quero ajuda pra termina um trabolho que tenho que entrega amanhã e não estou conseguindo..

    ResponderExcluir
  5. Professor, estou com duvidas em que so síbalas tônicas e vogais ocorre a separação.

    ResponderExcluir
  6. -Me diz uma coisa se eu colocar 08 silabas nos versos que não são de rimas, o cordel sai errado?
    -o que é estrofes de pé quebrado? Poderia me deixar um exemplo.

    ResponderExcluir
  7. Epaminondas barbosa, a melhor forma de aprender sobre rimas é estar ao lado de um poeta, mas você pode se aprimorar no site da Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro professor.
      Eu queria saber se todo cordel tem que terminar em rima?

      Excluir
  8. Legal me ajudou muito cara :D
    agora posso fazer a prova minha de boa
    sem medo de errar :D
    obrigado

    ResponderExcluir
  9. Obrigado agora posso fazer a prova sem medo de errar a questão :D

    ResponderExcluir
  10. Meu dileto leitor amigo
    Que postou Fabiano Timbó
    Pergunte-me com seu nome
    Porque assim vai me dar dó
    Só posso lhe responder
    Que sem rima não tem forró.

    ResponderExcluir
  11. MÉTRICA, RIMA E ORAÇÃO

    Rima, oração e métrica
    São ferramentas usadas
    Junto com veia poética
    Em laudas bem caprichadas
    Pelos poetas autênticos,
    Desses que não são transgênicos
    Que versam nas madrugadas.

    No Nordeste e no Brasil
    Tem poeta rimador
    Orgulhando sua gente,
    Versando com o fervor
    Da melhor inspiração;
    Caçamba com cacimbão
    E corda com laçador.

    Repentista, aboiador
    Ou poeta cordelista
    São seres agraciados
    Porque a verve os conquista
    Na fôrma da poesia,
    Em simplória moradia
    Ou morada estilista.

    Quem tem dom de poesia
    Não consegue esconder
    A veia que é poética
    Porque vive a escrever
    Muitas laudas no papel,
    Tem a ver com o cordel
    No seu jeito de viver.

    Chico Mulungu

    ResponderExcluir